Intermediário

Como usar longas exposições para criar fotografias fascinantes de água em movimento

Glossário

A coisa mais legal em relação a longas exposições de água corrente é que: você está fotografando algo que não consegue ver.

A longa exposição captura o passar do tempo, e embora seja possível esperar que ele passe, você não consegue ver isso em nada a não ser uma fotografia.    

A técnica de longa exposição é relativamente fácil, e os resultados serão ótimos — assim que você dominar o básico e adquirir um pouco de experiência.

O fotógrafo de locais ao ar livre e natureza, Tony Sweet, sabe tudo sobre o assunto. Ele fotografa água em movimento desde que começou a fotografar ao ar livre e a natureza há mais de 20 anos — e ensina as técnicas nesses workshops. "As pessoas que vão aos workshops querem saber como fazer isso — é um tópico muito popular", ele conta.

Quanto tempo é longa exposição?

Geralmente, longas exposições vão de 30 segundos a um minuto, mas sua definição vai depender do grau de suavidade e efeito sedoso que você quer criar.    

A primeira coisa a considerar é a velocidade da água. "Ondas do mar podem vir devagar e calmas", diz Tony, "e isso pode levar de 15 a 30 segundos de exposição. Se está fotografando um lago, e quer somente uma aparência cintilante, você pode fotografar com 15 ou 30 segundos de exposição".

No começo, tentativa e erro serão uma grande parte do trabalho. "Fotografe com várias exposições", diz Tony. "A ideia é adquirir experiência para que você consiga reconhecer o que a cena oferece e o que pode conseguir com tempos de exposição diferentes. Essa é a parte divertida disso — os experimentos. Tem a ver com o que você quer transmitir, a sensação da cena e sua estética pessoal — o que parece bonito para você."

Se as fotografias de Tony aqui nessa história são bonitas para você, a informação do tempo de exposição que acompanha a legenda será um guia valioso para o seu ponto de partida de tempo de exposição.

Quando compuser suas imagens, pense além da água em si. Primeiro plano e fundo serão partes do impacto da imagem; e também o contraste, cores, justaposições de texturas e estruturas na água.

Equipamentos essenciais e técnicas básicas    

Você deve ter um tripé — sem surpresas até aqui. E um cabo de disparo (ou um controle sem fio para disparar o obturador) para garantir o máximo de firmeza da câmera. Tony carrega um Gitzo GT3542 XLS e um Induro Stealth GIT404XL e usa um controle remoto de disparo Nikon MC-30A com sua D810. Como Tony geralmente fotografa água em movimento de uma posição estratégica do litoral ou da praia, ele considera Manfrotto Snow Shoes essenciais para evitar que as pernas do tripé afundem na areia. Eles são formalmente conhecidos como 230 All Weather Tripod Shoes.

Na ocasião improvável de ser pego de surpresa sem seu cabo de disparo, ou quando estiver dependendo da câmera para cronometrar exposições de 30 segundos ou menos, sua D810 tem um recurso embutido chamado modo de atraso da exposição que atrasa o disparo do obturador de um a três segundos da sua escolha e, depois, o espelho trava. (Verifique o ’Manual do Usuário’ da sua câmera para ver se ela tem esse recurso.)

Para exposições mais longas do que 30 segundos, use a configuração de Bulb da sua câmera. E, independente do tempo de exposição, sempre use o foco manual das suas lentes.

Quando compuser suas imagens, pense além da água em si. Primeiro plano e fundo serão partes do impacto da imagem; e também o contraste, cores, justaposições de texturas e estruturas na água.

Por fim, o atrativo das imagens de longa exposição pode ter mais a ver com respostas emocionais do que avaliações objetivas, então se sinta a vontade para experimentar. A atmosfera pode ser tudo.

O fator filtro

Para exposições mais longas — geralmente de alguns minutos — ou exposições em luz clara ou quando a luz muda conforme as horas do dia — você terá que usar um filtro de densidade neutra (ND).

Por quê? Porque uma longa exposição pode deixar entrar muita luz, e você acabará com uma imagem com superexposição e apagada independentemente de escolher um f/stop pequeno ou ISO baixo.    

Os filtros ND classificam em graus a redução do f/stop — representando o quanto de luz que eles reduzem. Quanto maior o número, menos luz chega até o sensor. Tony carrega filtros ND Singh-Ray 5-, 6-, 10-, 15-, 16- e 20-stop.

E é assim que ele os usa:

Primeiro ele mede a cena que quer fotografar sem considerar o tempo estendido de exposição. "Eu só considero a exposição certa da imagem usando o ISO que eu prefiro e o f/stop para a profundidade de campo que quero para a cena. Então decido a velocidade do obturador."

Depois ele usa o aplicativo NDExposure no seu smartphone. "Insiro a velocidade do obturador para o tempo certo de exposição de imagem em uma coluna e abro a lista de densidade neutra para selecionar qual usarei. O aplicativo calcula o tempo de exposição, e o tempo aparece embaixo na janela."

E pronto.

Sabemos o que você está pensando: de que modo ele sabe quantos stops de densidade neutra ele precisa... ou quer? Ele vai usar um filtro ND de 5-stop, 10-stop ou 20-stop? É aí que observação e experiência entram em cena. Claro, luz forte? Ele tenta 15, verifica os resultados e muda o filtro se necessário. Luz da manhã, ou do início da noite? Um 5-stop.

É realmente tentativa e erro quando você está começando, contudo, Tony diz: "Se seu primeiro disparo foi exposto da maneira correta, e a exposição longa foi corretamente calculada, e se houve uma mudança dramática na luz natural, pequenos ajustes não devem ser necessários."

Há alguns pré-julgamentos aqui, particularmente ao nascer e pôr do sol à medida que a luz fica, respectivamente, mais forte ou mais fraca.

"Ao pôr do sol fica escuro rapidamente", diz Tony, "e eu posso usar minha própria velocidade do obturador de exposição para uma exposição de quatro minutos. No entanto, se eu vejo que está ficando escuro rapidamente, posso diminuir a exposição depois de dois minutos".

Como regra geral, ele sugere filtros 5- e 6-stop conforme as horas do dia, 10- 16- e, muito de vez em quando, 20-stops em horas claras até as mais claras.  

Quanto mais imagens com filtro ND você faz, mais rápido adquire conhecimento baseado em experiência. Você reconhecerá a situação, a luz, a velocidade da água e saberá o que a cena precisa para o resultado desejado.

"Eu ensino o básico disso para os alunos dos meus workshops em cinco minutos, mais ou menos", conta Tony. "Então quanto mais eles fazem isso, mais rápido entendem o resto." 

Este artigo vai muito bem com esse produto

Mais artigos como este