Intermediário

Novas ideias: a D750 inspira criação, compartilhamento e novas imagens

Glossário

Parte do meu trabalho como gerente de produtos da Nikon é usar nossas câmeras à medida que elas evoluem de protótipos à produção, até chegar a ser um produto pronto para o mercado. Nessa trajetória, eu aprendo sobre seus recursos e capacidades, comparando e contrastando-os aos modelos anteriores na nossa linha e fotografando imagens de resultado final que mostrem o que podem fazer. Naturalmente, passo por todas essas etapas e fases com um conhecimento bastante completo dos novos modelos.

Recentemente, no entanto, um amigo fotógrafo me fez uma pergunta incomum. No momento em que ia apresentar a D750 a ele, o meu amigo perguntou: "Você viu algo na câmera que o surpreendeu ao fotografar?"

Essa pergunta me fez perceber que muitas vezes, na maravilha da era digital, uma nova câmera Nikon realmente faz minha fotografia seguir novas e surpreendentes direções.

A primeira coisa que penso quando coloco minhas mãos em uma nova câmera é: Como essa câmera irá se encaixar no modo como eu gosto de fotografar? Depois de todos esses anos, será que uma câmera nova pode me tornar um fotógrafo melhor? Sim, às vezes pode. Pode me tornar um fotógrafo mais entusiasmado? Possivelmente.

Muitas vezes, a nova câmera me força a mudar alguns dos meus métodos e preferências ou a tentar algo novo. Para mim, um dos objetivos da fotografia é explorar. Quero ver de que modo o mundo se revela em ideias e imagens quando eu olho através do visor.

Poder alterar o ângulo com um LCD variável

A D750 me levou de imediato para essa direção devido à sua principal característica física: uma tela LCD inclinável. A primeira câmera FX (full-frame) da Nikon a receber esse recurso. A tela LCD inclinável é uma daquelas características que recebe comentários como "Ah, isso é legal", ou "Ah, está bem" assim que se ouve a respeito; no entanto, esses comentários rapidamente se transformam em "Que incrível!" assim que você começa usar a câmera.

Eu sempre gostei de fotografar e/ou gravar vídeos de ângulos altos e baixos, tendo a gostar muito desses estilos; no entanto, ser capaz de fazer esse tipo de imagem com uma Nikon full-frame e algumas das minhas lentes favoritas AF-S NIKKOR, foi muito legal. Essa opção também me inspira por permitir fotografar cenas que antes eram inimagináveis. Além disso, os benefícios da tela LCD inclinável foram comprovados quando a inclinação foi à única maneira de conseguir um ângulo baixo/alto sem que eu precisasse me deitar no chão ou ficar em pé em uma escada. Foi bom conseguir ver o que a câmera estava vendo a partir de uma posição confortável. Isso pra mim foi uma surpresa imediata quando segurei a câmera pela primeira vez.

Recursos HDR

Outra característica que me deixou muito empolgado foi a capacidade da D750 de produzir imagens HDR automaticamente. Configure a câmera para este recurso e a câmera fará duas imagens rápidas, uma abaixo e outra acima do medidor, e depois montará essas imagens para criar uma imagem de alcance dinâmico mais amplo do que uma única imagem pode oferecer. Sou um grande fã de HDR. Rotineiramente produzo imagens HDR colocando minha câmera sobre um tripé e escolhendo o modo de bracketing automático para tirar uma série de fotografias que processo posteriormente em um software de outro fabricante no meu computador. Com a D750 posso fotografar com três, cinco, sete ou até nove brackets, uma exposição na leitura do medidor (ou de acordo com minha escolha manual de velocidade do obturador e f/stop), e então uma série de imagens acima e abaixo daquela leitura. A propósito, a D750 é a primeira câmera Nikon para entusiastas a oferecer bracketings de nove quadros. Tipicamente, eu prefiro três ou cinco bracketings. Mas testei de sete e nove e obtive resultados HDR incríveis, embora eu tenha que admitir que com nove quadros, o software de processamento tende a ficar mais lento. O recurso automático de HDR de dois quadros afetou minha fotografia simplesmente porque há momentos, quando não estou com um tripé, e quero simplesmente tirar uma fotografia rápida.

​Compartilhamento fácil via Wi-Fi®

A D750 também influenciou o que vêm depois que eu fotografo; ou seja, o compartilhamento. A fotografia sempre esteve relacionada a compartilhar o que vemos; aquilo que gostamos, o que celebramos, o que queremos lembrar e aquilo que queremos que os outros lembrem. No passado, eu compartilhava imprimindo as fotografias, criando álbuns de fotografia, apresentações de slides e, com os recursos digitais, enviando fotografias quase instantaneamente para terceiros utilizando e-mail ou um site FTP seguro. Agora, com a capacidade integrada de Wi-Fi da D750, posso tirar uma fotografia e enviar para o meu smartphone ou tablet compatível e dali para tantas mídias sociais ou sites quanto quiser, ou via e-mail ou mensagem de texto. O que é muito legal, pois as respostas e comentários são quase tão rápidos quanto o tempo de envio. Devido à sua capacidade de comunicação rápida, o compartilhamento agora se tornou parte do meu processamento da imagem.

Recursos de vídeo da D750

Outro aspecto da minha fotografia que foi afetado com a D750 é a gravação de vídeos. Por muitos anos eu me concentrei apenas na fotografia, mas agora descobri que vídeo é uma forma de expressão divertida e criativa. No entanto, para realmente começar a gravar vídeos, primeiro eu precisava mudar meu processo de pensar. Quando fotografo, lido com frações de segundo para capturar o que quero. Em vídeo, é o fluxo de eventos, a continuidade do que está acontecendo na minha frente que preciso capturar.

A D750 fez toda a diferença na captura de vídeo, me dando a capacidade de ajustar a abertura sem muitos passos e silenciosamente, enquanto a câmera ainda grava, com o simples uso do controle de Abertura Elétrica, Power Aperture. Ao gravar vídeos, é comum deixar a câmera em sua função de gravação para capturar toda a ação entre as cenas, o que resulta em alguns segundos de vídeo em f/4 para depois perceber a necessidade de f/8 ou f/16 para a próxima tomada. Mas com a D750, faço as modificações enquanto gravo e edito depois no computador. As luzes da cena mudam, pessoas andam ao redor, água flui, nuvens se movimentam — e eu posso ajustar a abertura conforme tudo acontece para aumentar ou diminuir a zona de foco, criar um clima ou direcionar a atenção do espectador para um elemento da cena.

Outro recurso favorito para configurar a exposição enquanto gravo é a exibição dos realces com listras preto e branco que aparecem no LCD em áreas que muito provavelmente estão superexpostas. Se eu vejo as listras, eu sei que preciso reduzir a quantidade de luz escolhendo uma abertura menor ou mudando o ISO.  

Para mim, outro elemento surpresa de ter uma câmera nova Nikon é a forma como me encoraja e inspira a explorar novos territórios e novas ideias.

Este artigo vai muito bem com esse produto

Mais artigos como este