Iniciante

Melhores dicas para fotografias de nascer e pôr do sol

Glossário

O nascer e o pôr do sol acontecerão. É o que você faz com eles que fará a diferença entre as fotografias que você vai querer compartilhar e as que vai provavelmente excluir.

Conversamos com a fotógrafa de viagem Deborah Sandidge sobre como tirar vantagem das oportunidades do nascer e pôr do sol. O que a Deb disse basicamente se resume a esses pontos:

  • O sol não precisa ser o assunto da fotografia.

  • O efeito do sol na paisagem é geralmente a imagem.

  • Planeje ou antecipe a imagem que você quer fazer.

  • Dê a si mesmo o tempo e as ferramentas necessárias para fazer isso.

O nascer ou o pôr do sol proporcionam a luz, mas o sucesso da imagem vai provavelmente depender do que está iluminado— e como. Rochas, portos, embarcações, ilhas, pontes, linhas de horizonte — esses são bons assuntos para fotografias de nascer ou pôr do sol, lindas e dramáticas.  

Deb não considera que suas imagens de nascer ou pôr do sol sejam provas de momentos capturados. Pelo contrário, elas são reações emocionais a o que está vendo, e geralmente o que ela previu ou planejou. Suas imagens são interpretativas e subjetivas, são esforços para capturar um sentimento ou humor. Para um fotógrafo profissional, também representam o desejo de fazer algo diferente, incomum, notável e marcante. Em certo nível de ambição e conquista, essas fotografias não estão relacionadas a simplesmente capturar o que foi dado. Embora seja possível perceber um pôr do sol glorioso acontecendo bem na sua frente, na maior parte das vezes esses tipos de imagens levam algum tempo, reflexão e planejamento.

"Para o nascer do sol, sempre chego cerca de 45 minutos antes do evento," conta Deb. "Quero ver onde as nuvens estão ou provavelmente estarão. Eu me organizo para conseguir a melhor fotografia antes que o sol passe do horizonte. Não quero fotografar muito depois desse ponto— o sol fica muito intenso quando passa do horizonte. Então, os momentos entre escuridão e nascer do sol são muito importantes."

Para imagens de pôr do sol, é um método diferente. "Estou me posicionando", ela diz, "mas observando a qualidade da luz conforme ela muda, e o que está acontecendo na influência da luz — de que modo está afetando a cena."

Os métodos

Deb prefere fotometria manual para essas imagens, e ela quase sempre configura o f/stop primeiro para controlar a profundidade de campo. "Quase sempre quero que tudo no primeiro plano seja nítido, e os detalhes no fundo não terão essa importância, especialmente se o fundo estiver com sombras— você não verá os detalhes de qualquer maneira,"

A velocidade do obturador é importante quando alguma imagem na cena está se movendo ou pode se mover e vai resultar em imagens desfocadas. Profundidade de campo e velocidade são cruciais para a fotografia, ela pode sempre ajustar o ISO.

As configurações da câmera são baseadas no que ela quer realizar e no que é mais importante para a história que ela quer contar e o humor que quer comunicar. A ideia é decidir quais elementos criativos são essenciais na cena e então usar o que for necessário para retratar isso.

Um fator crucial é chegar ao local cedo, para testar algumas fotografias mesmo que esteja muito escuro ou muito claro ainda —"só para estar preparada, estar na zona de avaliação, para julgar o que vejo, e saber qual lente, abertura e filtro posso precisar. E ter preparado tudo que preciso, pois quando a luz começa a aparecer ou desaparecer, as mudanças são rápidas e as oportunidades, breves."

Há também o fator de revisitar o local. "Há lugares como Badlands, na Dakota do Sul, onde as nuvens estão sempre mudando, onde a dinâmica será diferente. Vou procurar ângulos ou maneiras diferentes de fotografar. Os mesmos lugares, condições completamente diferentes mesmo quando for na mesma época do ano. Mudanças no tempo afetam a cena — haverá finas nuvens para um nascer do sol sereno; outros dias, nuvens dramáticas para uma cena intensa. Volto a alguns lugares exatamente por esse motivo— para ver o que acontece depois."

O sol não precisa estar na fotografia para mostrar sua influência.

Os meios

Um tripé é essencial para fotografias de nascer e pôr do sol — Deb usa um Gitzo 82TQD Series 1 Traveler—e quando o tripé está em uso, é provável que seu cabo de disparo remoto Nikon MC-30A também esteja. Há vezes, no entanto, em que a luz está clara o suficiente para que a velocidade do obturador seja rápida para disparo em mãos.

Quando ela está procurando isolar uma porção da paisagem em uma imagem de nascer ou pôr do sol, a telefoto AF-S NIKKOR 28-300mm f/3.5-5.6G ED VR faz isso. Quando o objetivo é incluir o máximo de céu, a escolha dela pode ser um zoom mais amplo, o de 16 a 35 mm, ou o de 24 a 70 mm. A versátil de 24 a 120 mm também é uma ótima lente para nascer ou pôr do sol.

Às vezes, Deb combina com uma câmera DX, como a D500, com a AF-S NIKKOR 200-500mm f/5.6E ED VR e deixa o fator de corte de 1.5x da câmera revelar detalhes e enfatizar a reprodução dramática de luz e sombra.

Às vezes, ela usa um filtro de densidade neutra (ND) graduado— "especialmente se for uma exposição longa, ou para conter a luz do sol no topo da imagem"— ou um polarizador para reduzir o brilho, ou um filtro para reforçar a cor para acrescentar atmosfera à fotografia.

E um aplicativo inestimável entra em cena ocasionalmente. O Photographer's Ephemeris avisa horas e locais para nascer e pôr do sol, e, com um recurso adicional chamado Skyfire, a previsão da intensidade deles também. Se você estiver atrás de nascer e pôr do sol, faz sentido saber quando e onde provavelmente vão acontecer os melhores.

Conforme Deb diz: "Quero garantir que terei todas as ferramentas de que preciso para contar minha história."

A autora, instrutora e fotógrafa que viaja pelo mundo Deborah Sandidge usa e ensina técnicas criativas para capturar imagens dramáticas e fascinantes.

Mais artigos deste contribuinte

Este artigo vai muito bem com esse produto

Mais artigos como este